Ter cuidado com a nossa saúde também implica em contar com bons profissionais para nos ajudar nessa missão, não é mesmo? Por isso, é importante levar em consideração alguns fatores importantes ao escolher uma clínica odontológica.

Caso você queira colocar um aparelho ortodôntico, por exemplo, e nunca tenha passado por um ortodontista na vida, provavelmente chegará a hora de tomar essa decisão. Sem falar nos outros procedimentos que são necessários para manter a saúde bucal em dia.

Portanto, para ficar mais preparado para esse momento e fazer melhores escolhas, não deixe de ler o post a seguir e considerar as 5 dicas apresentadas.

1. Confira o nível de especialização profissional

O primeiro passo para confiar nas mãos de um profissional é saber qual a sua formação e especialidades. No caso dos dentistas, você pode pesquisar no site do CRO (Conselho Regional de Odontologia) de cada estado se ele é registrado e reconhecido pelo Conselho.

Temos o exemplo da ortodontia, que é uma área que requer especialização — ou seja, não é todo dentista que pode iniciar um tratamento ortodôntico. Normalmente, os títulos dos profissionais da clínica ficam expostos, mas se ainda restar alguma dúvida, não se sinta constrangido de fazer todas as perguntas que quiser.

É claro que alguns possuem vários cursos e especializações, outros muitos anos de experiência, mas nem sempre isso é o que mais importa. O intuito é simplesmente conferir se os profissionais são mesmo capacitados para oferecer aquele tipo de serviço.

2. Informe-se sobre as tecnologias utilizadas

Outra questão relevante é verificar quais tipos de tecnologias e ferramentas são utilizadas na clínica, o que é capaz de fazer muita diferença dependendo das suas expectativas de tratamento.

De fato, profissionais que não se atualizam e não procuram trazer novidades para os seus consultórios podem acabar não atendendo às necessidades ou preferências dos pacientes.

Imagine que você prefira fazer um tratamento moderno, com alinhadores invisíveis e tecnologia 3D, para não comprometer tanto a sua aparência. Então, já sabe que esse é um ponto diferencial para a sua escolha se você não quer usar um aparelho fixo.

Portanto, informe-se antes para não ficar desapontado ou ter que mudar de dentista. Você pode pesquisar no site ou nas redes sociais da clínica, telefonar para perguntar ou até mesmo marcar uma consulta inicial para conhecer os procedimentos oferecidos.

3. Considere as indicações

Uma boa maneira de encontrar uma clínica odontológica que atenda aos seus desejos é pedir indicações às pessoas ao seu redor, facilitando esse processo de escolha.

Quando você não tem a recomendação de um familiar ou amigo sobre um profissional de confiança, uma outra referência podem ser as indicações fornecidas pelos próprios fabricantes dos produtos que ele utiliza.

Existem selos, prêmios ou até mesmo números que são disponibilizados pelas empresas para ajudar a conferir credibilidade a determinados profissionais. Logo, este é outro ponto que vale a pena pesquisar.

4. Analise o custo-benefício

Não dá para negar que a parte financeira também influencia na escolha. Afinal de contas, é preciso analisar se os custos cabem dentro do seu orçamento, se você terá que procurar outra clínica ou esperar um pouco mais para fazer o tratamento.

Nessa hora, não considere apenas o preço final, mas toda a relação custo-benefício do que foi oferecido. Algumas pessoas caem em armadilhas ao optarem por um preço mais baixo, mas que acaba não garantindo a segurança e a eficácia necessárias.

5. Avalie se o atendimento lhe agrada

Por fim, não se esqueça que profissionais altamente especializados e tecnologias inovadoras não bastam para que a clínica odontológica seja de qualidade. Há outros detalhes importantes que envolvem esse tipo de atendimento.

Dentre eles você deve considerar questões como a higiene do local, gentileza dos funcionários, disponibilidade do profissional, pontualidade, simpatia, entre outras que você considerar como diferenciais.

Por exemplo, uma situação bastante frequente é o paciente começar a colocar aparelho com um profissional e depois passar a ser atendido por auxiliares da equipe. Não que isso seja necessariamente um problema, mas pode fazer diferença para você.

E aí, gostou das nossas dicas para escolher uma clínica odontológica? Que tal compartilhar este post nas suas redes sociais para informar os seus amigos sobre o assunto?