O maior acesso da população aos tratamentos em saúde bucal têm gerado excelentes oportunidades de negócios para os consultórios odontológicos. Os pacientes já não buscam atendimento apenas nas crises agudas de dores de dente, mas também demonstram preocupação com a beleza do sorriso, o que têm elevado a busca por procedimentos estéticos como o clareamento, lentes de contato e facetas de porcelana.

Essa preocupação traz também reflexos muito positivos para a ortodontia, com pacientes de várias idades buscando os consultórios para corrigir problemas de oclusão e apinhamento dos dentes — e a demanda por aparelhos ortodônticos é bem grande. A Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, realizada pelo Ministério da Saúde em 2010, demonstrou que 38,8% das crianças de 12 anos têm algum problema de oclusão dental. Na faixa etária de 15 a 19 anos, os problemas atingem 20,3% dos jovens.

Neste post listamos algumas novidades em ortodontia para atender a pacientes de todas as idades e necessidades. Confira!

1. Brackets estéticos

Os brackets estéticos atendem muito bem aos adultos que, geralmente, desejam aparelhos mais discretos. O bracket de safira é feito com uma cerâmica monocristalina translúcida. É muito resistente, não colore e tem baixa incidência de descolagem.

Há também a opção do bracket cerâmico, feito com cerâmica policristalina. É menos translúcido que o de safira, mas tem a mesma qualidade quanto à resistência, coloração e descolagem.

Já os produzidos em resina e policarbonato são pouco resistentes e oferecem menor confiabilidade.

2. Arcos não metálicos

Os arcos não metálicos são transparentes e têm efeito estético mais bonito do que os tradicionais. São indicados para casos mais brandos, já que são menos resistentes e não suportam dobras.

3. Aparelho lingual

No aparelho lingual os brackets são colocados na face interior dos dentes, em contato com a língua. Eles são indicados para tratamentos menos complexos e de curta duração, já que têm adaptação mais complicada.

É um modelo que exige uma higienização mais rigorosa e também pode causar algumas lesões na língua no início do tratamento. Para reduzir esse desconforto, a indicação é usar cera nos brackets. Também pode provocar uma distorção na fala. Por isso, o paciente deve ser orientado a falar mais devagar até que se acostume com a nova posição da língua.

4. Uso da tecnologia 3D

O escaneamento intraoral ou odontologia 3D pode ser usado no planejamento de diversos tratamentos odontológicos. Na ortodontia ele substitui as técnicas tradicionais de moldagem para a confecção dos aparelhos ortodônticos. É um método que traz mais conforto para o paciente, já que elimina o contato com a massa de modelar.

É também mais ágil, pois, em vez de mandar um molde físico para o laboratório, é enviado um arquivo com as imagens digitalizadas da boca do paciente.

5. Aparelho transparente

Esses aparelhos utilizam moldeiras quase transparentes. Todo o processo de produção das moldeiras envolve tecnologia 3D e prototipagem para criar a série personalizada de alinhadores de acordo com as moldagens sequenciais que foram escaneadas. É uma técnica muito indicada para dentes que precisam de pouca movimentação.

6. Brackets autoligados

Os brackets autoligados não são exatamente uma novidade. Já existiam no mercado há 20 anos, mas ganharam recentemente maior espaço e aceitação tanto por profissionais quanto pelos pacientes.

A diferença em relação ao modelo tradicional é que eles têm um fecho na parte externa da peça que permite fixar o fio ortodôntico no aparelho sem a necessidade de amarrá-lo com ligaduras metálicas e elásticas (as famosas borrachinhas). Eles podem ser feitos em metal ou porcelana.

Suas principais vantagens estão na maior facilidade de higienização e na redução do atrito, o que contribui para um tratamento mais eficiente. Como os fios não precisam ser amarrados, as consultas para ajustes são mais rápidas.

7. Ancoragem absoluta

A ancoragem absoluta utilizando microparafusos de titânio traz mais eficiência e controle da mecânica ortodôntica. No entanto, a técnica exige alguns cuidados para evitar complicações como fratura, mucosite, perda de estabilidade e lesão do tecido mole.

Quer saber mais novidades em ortodontia? Assine nossa newsletter e não perca os dicas e novidades!