A pasta de dente com flúor oferece uma proteção extra aos dentes, reduzindo a incidência de cáries. Apesar dessa grande vantagem, o flúor pode não ser indicado para todas as pessoas e, quando usado em excesso, pode provocar manchas nos dentes devido à fluorose.

Mas, afinal, quando a pasta de dente com flúor deve ser usada? Descubra a resposta aqui neste post!

O que é o flúor?

O flúor é um elemento químico encontrado na natureza que tem a capacidade de fortalecer os dentes durante o processo de mineralização e assim torná-los mais resistentes contra um dos problemas bucais mais comuns: as cáries.

Dessa forma, pessoas que consomem água fluoretada e utilizam pasta de dente com flúor apresentam uma menor incidência de cáries ao longo da vida.

Onde encontrar água fluoretada?

Desde a descoberta desse efeito benéfico do flúor sobre os dentes, instituições governamentais e de saúde em todo o mundo defendem a adição de flúor à água distribuída à população.

Por isso, a maioria das cidades brasileiras já possui água fluoretada na torneira. Para descobrir se isso é verdade na sua cidade basta entrar em contato com a empresa distribuidora de água.

Agora, se você consome água mineral em casa deve conferir no rótulo da água se ela também já possui flúor.

Se já tem flúor na água, é necessário usar pasta de dente com flúor?

A recomendação oficial é de que pessoas com um risco habitual de desenvolver cáries devem consumir água fluoretada e utilizar produtos de higiene bucal com flúor para atingir a dose diária necessária dessa substância.

Pessoas que usam aparelho ortodôntico ou possuem doenças que aumentam o risco de cáries, podem precisar de doses extras de flúor.

O flúor traz algum risco à saúde?

Quando ingerido em excesso, o flúor pode provocar uma intoxicação chamada de fluorose, na qual surgem manchas brancas ou marrons nos dentes.

Para que essa doença ocorra, no entanto, é necessário que a criança, com os dentes ainda em desenvolvimento, ingira produtos com flúor (pasta de dente, enxaguantes bucais etc) em alta quantidade durante um longo período, o que vai contra as instruções de uso desses produtos.

É possível ocorrer também um quadro de intoxicação aguda após a ingestão de grande quantidade de flúor em um único episódio, caracterizada por náuseas, vômitos e dor abdominal.

Quem deve usar a pasta de dente com flúor?

A pasta de dente com flúor é recomendada a pessoas de todas as faixas etárias, sem exceções. O uso da mesma deve ser iniciado com a erupção dos primeiros dentinhos por volta dos seis meses de vida e ser mantido durante toda a vida.

Mas o flúor não faz mal para as crianças?

A Academia Americana de Pediatria, a Sociedade Brasileira de Pediatria  e diversas outras instituições pediátricas pelo mundo recomendam o uso da pasta de dente com flúor para as crianças de todas as idades.

O importante é que a pasta seja usada de forma correta. Antes dos três anos, deve-se colocar uma quantidade de pasta do tamanho de um grão de arroz cru na escova de dente e, após essa idade, uma quantidade do tamanho de um grão de ervilha. Ao final da escovação, os pais devem ainda retirar qualquer excesso de pasta de dente da boca da criança.

Mas e se a criança gosta de comer a pasta de dente?

Nesse caso específico, pode ser necessário interromper o uso da pasta de dente com flúor para evitar que a criança desenvolva fluorose enquanto esse mal comportamento não é resolvido. Se os pais apenas eliminam a pasta de dente com flúor, a criança terá um risco maior de desenvolver cáries, o que pode trazer consequências ainda piores em médio e longo prazo.

Assim, o ideal é que nesse período de transição a criança realize aplicações de flúor no dentista e que os pais restrinjam o acesso da criança à pasta de dente, comprem produtos sem um sabor adocicado e eduquem a criança em relação à forma correta de utilizar a pasta, estando presentes na hora da escovação.

Entendeu tudo sobre a pasta de dente com flúor? Siga a nossa página no Facebook e fique por dentro das novidades do blog!