É comum encontrar as pessoas falando sobre um quadro de retração gengival, mas poucos dentistas realmente sabem o que isso realmente significa. Se você é um desses, então está no lugar certo.

Antes de qualquer coisa, é bom saber que este quadro se dá quando a raiz do dente fica exposta, provocando muita sensibilidade. Ela pode acontecer por diversas razões, mas é fundamental saber identificar quando acontece para seguir com o tratamento adequado.

Se você quer saber mais sobre o assunto, então não pode deixar de ler a postagem de hoje. Vamos lá?

Afinal, o que é retração gengival?

O quadro de retração gengival acontece sempre que há um deslocamento da gengiva. Como você deve imaginar, isso acaba provocando uma exposição da raiz do dente. Essa condição pode atingir apenas um dente ou vários deles, mas é bom ficar de olho, pois podem acabar destruindo a camada de revestimento e expor a dentina.

Além da temida sensibilidade, ainda pode provocar cáries e outros problemas — isso tudo sem contar que compromete a estética do sorriso e, por consequência, a autoestima do seu paciente.

Como identificar?

A retração gengival tem alguns sintomas um tanto quanto comuns. Para identificá-los, a melhor forma é ficar atento a cada um deles. Veja alguns:

Sangramento da gengiva

Se a gengiva sangra com facilidade, seja na escovação ou na hora de passar o fio dental, é bom ligar o sinal de alerta e avaliar a condição da gengiva.

Raiz exposta

Quem sofre com retração gengival provavelmente lida também com a exposição de raiz. Pergunte para o paciente se ele percebeu qualquer alteração no sorriso e percebeu se os dentes ficaram sensíveis ou com a sensação de “frouxidão”.

Mau hálito

A retração cria um ambiente muito favorável para a proliferação de bactérias. Com isso, é natural que a pessoa lide com mau hálito e tenha um constante gosto ruim na boca.

Sensibilidade excessiva

A sensibilidade de maneira excessiva é o sintoma mais comum. Ela pode ser sentida ao usar talheres ou até mesmo bebendo água. Então é bom ficar atento a esse sinal.

Uma boa dica é “jogar um jato de ar” nos dentes e perceber como o paciente reage, já que isso pode trazer muito desconforto quando a dentina está exposta (pois existe também um contato maior com o nervo do dente).

Bolsas gengivais

Elas podem aparecer como um reflexo do problema, considerando que a retração pode ser um dos primeiros sinais de uma doença gengival. Essas bolsas facilitam o aparecimento de bactérias e podem até comprometer a estrutura dos dentes.

O que provoca?

Muitos são os fatores que podem provocar a retração gengival. Um deles é a higienização incorreta. Quem escova os dentes com muita força ou de forma errada pode agredir a gengiva e provocar a retração.

As doenças periodontais são causas comuns. A gengivite é o primeiro estágio e a principal causa da retração. Além disso, restaurações malfeitas ainda podem provocar uma inflamação local e, por consequência, a retração.

Para fechar, a mordida torta e mal posicionamento dos dentes também podem influenciar o quadro. É fundamental ter isso em mente para orientar bem seus pacientes.

Como tratar?

A melhor medida envolve a escolha de uma boa escova de dentes, preferencialmente com cerdas macias, e o cuidado na hora de escovar. Direcione para que ele evite movimentos fortes e bruscos é uma ótima medida, principalmente considerando a proximidade com a gengiva.

Além disso, é importante estimular frequentes consultas ao dentista. Pense que você é o profissional indicado para lidar com a situação. Portanto, realize uma raspagem eficiente, pois, assim, fica mais fácil evitar as retrações. Além disso, recubra os colos dentários com resina

Em alguns casos, pode ser necessário um procedimento cirúrgico. O dentista precisa enxertar um tecido conjuntivo do próprio paciente, de modo a facilitar a resolução dos impactos.

Agora que você entende melhor sobre a retração gengival, não deixe de ficar de olho em qualquer mudança na boca dos seus pacientes e assim mantê-la bonita e saudável. A harmonia do sorriso é um grande ganho que podemos proporcionar!

Gostou das nossas dicas? Acompanhe esta e muitas outras nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter e Instagram!