A escolha por um clareamento dental caseiro vem sendo feita por muitos brasileiros à medida que alguns produtos se tornaram mais comum no mercado e novas receitas “mirabolantes” se espalharam pela internet.

Fazer uso dessas substâncias sem orientação profissional, no entanto, traz riscos à saúde dentária e gera prejuízos estéticos e funcionais. Assim, o que parecia a opção mais barata e econômica inicialmente acaba provocando mais gastos e problemas no futuro.

Quer descobrir os riscos do clareamento dental caseiro e como a orientação dos dentistas podem preveni-los? Confira aqui no nosso post:

Quais são os riscos do clareamento dental caseiro?

Surgimento de manchas

Após a realização de um clareamento é necessário seguir uma dieta específica por um certo período de tempo para evitar que os dentes fiquem manchados. É recomendado evitar alimentos como chá, café, vinho, molho de tomate, produtos com corante e sucos cítricos, por exemplo.

Sem a orientação do dentista, muita gente não segue essa dieta e acaba ganhando novas manchas nos dentes e revertendo todo o benefício do clareamento. Em muitos casos, essas manchas são difíceis de serem removidas e acabam demandando tratamentos odontológicos caros e prolongados.

Pulpite

A pulpite, a inflamação da polpa do dente, é uma das piores consequências do clareamento caseiro feito de forma errada. Como é na polpa que estão presentes os nervos e os vasos sanguíneos que suprem toda a estrutura dentária, a dor é intensa durante esse processo e pode culminar com a morte de todo esse tecido.

Além disso, se o tecido pulpar estiver exposto à saliva, pode ocorrer ainda uma ulceração ou um crescimento exacerbado de tecido gengival (pulpite hiperplásica), necessitando tratamento odontológico específico.

Sangramentos gengivais

Para quem já tem a gengiva mais sensível e sofre com inflamação e pequenos sangramentos, o clareamento dental costuma ser contraindicado pelos dentistas. Isso ocorre já que as substâncias usadas no clareamento podem irritar ainda mais a estrutura gengival e provocar uma piora nos sangramentos.

Isso não significa que essa pessoa nunca poderá realizar o clareamento, mas sim que ao passar pela avaliação do profissional, o indivíduo poderá tratar o problema gengival e melhorar a saúde dentária antes de deixar os dentes mais brancos.

Aumento da sensibilidade dos dentes

As substâncias clareadoras costumam ter um efeito abrasivo que desgasta a camada de esmalte superficial dos dentes e deixa a dentina, uma camada mais interna, exposta. Como em casa é difícil controlar o poder de abrasão desses tratamentos, os resultados são variados e muita gente acaba com a dentina exposta, o que aumenta a sensibilidade dos dentes a alimentos frios, quentes e doces.

Queimaduras

Se não há um controle rígido da concentração da substância abrasiva usada no clareamento e as medidas de segurança não são seguidas, podem ocorrer queimaduras na cavidade oral.

Como os lábios, a gengiva, a língua e todo o interior da boca é revestido apenas por mucosa, esses tecidos são muito sensíveis e podem sofrer danos mesmo com produtos que parecem inofensivos a princípio, como o limão.

Agora que você já sabe que o clareamento dental não pode ser feito sem orientação do dentista, assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades do blog!