Se “cuidado com paciente” é a primeira coisa que vem em sua mente quando pensa sobre o que é mais importante no exercício da sua profissão, cuidar do seu instrumental deve ser a segunda.

A higienização e esterilização dos seus equipamentos são práticas muito importantes para que você possa realizar, com eficácia, os tratamentos e a prevenção de doenças infecciosas.

Sendo assim, confira agora 5 dicas essenciais para manter os seus equipamentos seguros.

1. Tenha um Procedimento Operacional Padrão

O procedimento Operacional Padrão (POP) nada mais é do que um roteiro sobre como você, ou qualquer um dos seus funcionários, deve atuar em determinadas situações. A sua intenção é prevenir erros, trazendo mais segurança para o procedimento e, consequentemente, para o paciente.

De que forma você higieniza os seus instrumentos? Com que periodicidade? De quanto em quanto tempo é necessário repor o estoque de determinado produto? Montar um POP na prática significa responder perguntas como essas, que vão permitir uma maior fluidez e rapidez no seu trabalho.

2. Não use luvas de procedimento

As luvas de procedimento são ótimas para atender um paciente, por permitirem uma maior sensibilidade no toque. Porém, quando o assunto é higienização do instrumental, ela não é a melhor opção. Esse tipo de luva é fina e pouco resistente, por isso se deterioram com facilidade.

Sendo assim, as melhores luvas para se usar nesse caso são as luvas de utilidade. Sendo mais grossas e resistentes, são a opção mais segura na hora de higienizar objetos pontiagudos e cortantes.

3. Utilize produtos de limpeza específicos para a higienização de equipamentos odontológicos

Alguns dentistas acabam cometendo o deslize de utilizar produtos de limpeza convencionais para realizar a higienização de equipamentos odontológicos. Isso é problemático, porque esses produtos podem deteriorar seus equipamentos, assim como deixar resíduos.

O uso de detergente doméstico, por exemplo, muitas vezes é empregado para esse fim, por dentistas mal informados. Porém, ele não é ideal por ser iônico. O melhor, nesse caso, é utilizar um detergente enzimático, que ajuda na remoção da matéria orgânica e, inclusive, é recomendado pelo Ministério da Saúde.

Assim, como esse caso, existem muitos outros. O mais importante é pesquisar com os seus fornecedores os produtos mais qualificados para cada função.

4. Esterilize todos os equipamentos que serão usados nos procedimentos

Às vezes, nem todos os equipamentos separados para realizar um procedimento ou uma cirurgia são utilizados pelo dentista na ação. Mas não é por isso que somente os materiais utilizados devam ser esterilizados.

A esterilização deve ocorrer em todos os equipamentos que foram separados, porque nesse meio tempo pode ocorrer uma contaminação entre eles. Sendo assim, o mais seguro é sempre esterilizar todos os instrumentos que foram postos à mesa.

5. Faça o armazenamento correto

Depois de esterilizados, é muito importante fazer um armazenamento correto dos seus instrumentos. Para isso é necessário ter muito cuidado, qualquer deslize pode fazer com que você tenha que repetir o processo novamente.

Na hora de armazená-los, guarde os instrumentos em gavetas ou caixas plásticas fechadas. Dessa forma, você mantém o efeito da esterilização. Mas é importante ficar atento também ao prazo de validade do processo de esterilização, que vale 7 dias.

Curtiu as dicas sobre higienização de equipamentos odontológicos? Quer ter acesso a mais conteúdos como este? Então, curta a nossa página do Facebook e siga-nos no Twitter e Instagram!