A prototipagem rápida, popularmente conhecida como impressão 3D, é uma nova tecnologia que está sendo largamente utilizada nos mais diversos nichos. Na odontologia não é diferente, e os produtos gerados a partir desse tipo de fabricação estão se tornando um grande diferencial de mercado.

Além de permitir uma gama de itens mais variada e resistente, a impressão 3D traz aos procedimentos odontológicos cada vez mais precisão e agilidade. Aprenda um pouco sobre essa novidade tecnológica e suas aplicações com este artigo:

Como é feita uma impressão 3D?

As impressoras 3D são muito versáteis — com elas, é possível fabricar brinquedos, peças de maquinário, próteses, alimentos e até mesmo tecido humano. Por mais que pareça impossível, esta é uma realidade alcançada por meio de um procedimento tecnológico que recria qualquer tipo de objeto, a partir da leitura de dados, fazendo uso de um software de impressão.

A impressão é feita de camada em camada de dados, até que a forma final do produto desejado esteja completa, nas dimensões definidas pelo usuário e no material mais adequado para o seu objetivo. Os materiais mais comumente utilizados são:

  • ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno), um plástico leve e resistente;
  • PLA (Ácido Polilático), um polímero biodegradável.

Os scanners das impressoras 3D são bastante precisos, e conseguem recriar cópias com alto nível de detalhes, sendo uma das maiores apostas de inovação tecnológica para os mais variados setores de mercado, entre eles, destaca-se o da odontologia, como você vai aprender a seguir.

Como a impressão 3D pode ser usada na odontologia?

As impressões 3D estão sendo utilizadas no nicho odontológico para diversos fins, destacando-se:

  • restaurações dentárias, incluindo próteses fixas e removíveis;
  • cirurgias buco-maxilo-faciais;
  • cirurgias de correção;
  • fabricação de modelos e alinhadores;
  • fabricação de implantes.

Essa tecnologia é tão útil para agilizar procedimentos ortodônticos que reduz o tempo de fabricação de uma prótese, por exemplo, de cerca de 15 dias, para menos de 24 horas.

Isso contribui para a redução do tempo do processo de modelagem e implantação no paciente, sem contar que a etapa de envio do modelo para um laboratório especializado não existe mais — a prótese, muitas vezes, é feita no próprio consultório.

O processo de impressão 3D na odontologia é basicamente o mesmo que para os demais fins, somente os materiais utilizados é que geralmente são diferentes. Para aplicações dentárias, normalmente se usa a porcelana, a safira e o policarbonato.

Quais as vantagens do uso da impressão 3D na odontologia?

Usar a impressão 3D na odontologia é investir na tecnologia para impactar os negócios. Além de trazer uma série de benefícios para o paciente e para o consultório, apostar nessa novidade é estar par a par com uma tendência de mercado.

São muitas as vantagens do uso de impressão 3D, como:

  • destacar-se frente à concorrência;
  • otimizar os processos do consultório;
  • oferecer ao paciente opções de produtos mais resistentes e com alto grau de precisão;
  • aumentar a produtividade, promovendo melhores resultados;
  • ter um lucro maior, levando em conta que os produtos de impressora 3D têm uma precificação maior em relação aos tradicionais, devido aos seus benefícios para o paciente.

O investimento em adquirir uma impressora 3D para o consultório parte de cerca de 5 mil na compra da máquina, além de custos com software, materiais adequados e manutenção. No entanto, não há dúvidas de que as vantagens em atualizar os procedimentos odontológicos são muitas em termos financeiros, de produtividade e de satisfação dos pacientes.

Ficou interessado nessa nova tecnologia, mas ainda tem dúvidas? Entre em contato com a Compass 3D para ter mais informações e garantir uma odontologia de alta performance para os seus pacientes!