Muitas pessoas se preocupam somente com as consequências estéticas de um sorriso imperfeito, mas problemas como a mordida profunda além de afetarem a aparência também podem levar a uma série de complicações para sua saúde.

Se você se olha no espelho e vê seus dentes superiores cobrindo grande parte dos inferiores quando sorri, você pode ter uma condição chamada mordida profunda.

Para saber por que ela acontece e como tratá-la, continue a leitura!

O que é a mordida profunda e seus principais malefícios?

A mordida profunda ocorre quando os dentes da arcada dentária superior cobrem de maneira exagerada ou total os dentes inferiores. Considerada um tipo de má oclusão, esse problema é muito comum em crianças, mas também pode afetar adolescentes e adultos.

O principal sinal de alerta é quando a parte coberta chega a mais de um terço do tamanho dos dentes inferiores.

Esse problema na mordida além de afetar o sorriso, também pode levar a consequências como complicações nas gengivas dos dentes superiores e ao palato, conhecido popularmente como “céu da boca”.

Além disso, em crianças e adolescentes que ainda estão em fase de crescimento a mordida profunda pode levar a problemas na mandíbula, já que essa condição provoca uma espécie de travamento nesse osso, prejudicando o desenvolvimento correto da área e podendo, inclusive, afetar as articulações.

Ainda, esse problema na mordida também pode levar ao desgaste dos dentes inferiores anteriores, a longo prazo. Isso porque essas estruturas passam a sofrer uma sobrecarga durante a mastigação, causando um atrito excessivo quando há a movimentação da mandíbula.

Quais são as principais causas desse problema?

As causas da mordida profunda vão desde condições genéticas até situações ambientais, cabendo ao ortodontista avaliar quais são as origens do problema.

Entre as causas mais comuns estão:

1. Extrusão dos dentes inferiores ou superiores

A extrusão ocorre quando há um movimento dos dentes no sentido vertical, ou seja, para fora do osso. Ela normalmente acontece quando não existe o contato de um dente com seu antagonista, que é aquele que fica na mesma posição da arcada oposta.

No caso da extrusão dos dentes superiores ela normalmente acompanha o chamado sorriso gengival, que é quando ocorre uma exposição acima do normal da gengiva ao falar ou sorrir.

2. Alterações no desenvolvimento da face

No caso de problemas no desenvolvimento da face, pode ocorrer uma forte influência entre as duas condições.

Pacientes que sofrem de retrognatismo mandibular, por exemplo, que se caracteriza por problemas no desenvolvimento da mandíbula, podem desencadear a mordida profunda.

Essa deficiência no desenvolvimento pode levar a um mau relacionamento dentário, provocando a extrusão dos dentes e contribuindo para o aparecimento do problema de má oclusão.

3. Musculatura da mastigação muito forte

Algumas pessoas que apresentam a musculatura facial muito forte, também conhecida como hipertônica, podem desenvolver a mordida profunda.

Nesse caso, os dentes posteriores acabam sendo forçados contra a estrutura óssea que os sustenta, alterando o nível da sobreposição dos dentes inferiores e superiores.

4. Perda dentária

Para além do impacto estético, perder algum dente pode afetar toda a estrutura da boca. Em alguns casos, essa ausência pode desencadear a mordida profunda.

Quando essa perda ocorre nos dentes posteriores pode levar a uma alteração na sustentação posterior da mandíbula, contribuindo para o aparecimento da condição.

Como é feito o tratamento desse mal?

Somente o dentista poderá avaliar o quadro, levando em consideração fatores como a idade, as causas que levaram à mordida profunda e o grau de incidência do problema. A partir disso, ele indicará o melhor tratamento para o paciente, que pode incluir até cirurgia.

O tratamento mais comum, entretanto, é ortodôntico, com o uso de aparelhos que podem ser fixos ou removíveis, dependendo da necessidade de cada pessoa.

A boa notícia é que com o advento dos aparelhos transparentes é possível tratar essa condição em grande parte dos casos sem o impacto visual das opções tradicionais, que utilizam bráquetes metálicos e outras estruturas que além de pouco estéticas, ainda podem machucar a boca.

Agora você já sabe mais sobre o que é a mordida profunda e como tratá-la. Para mais assuntos relacionados à saúde bucal, siga nossas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram.