A rotina da higiene bucal diária, repetida muitas vezes de forma automática, começa com o uso do fio dental, seguido por uma escovação eficiente com uma escova de dentes adequada e um creme dental. Mas qual é a última etapa da limpeza da boca, facilmente negligenciada nos dias mais corridos? Se a sua resposta envolve o uso do enxaguante bucal, você está certo — e se tem o hábito de utilizar o produto diariamente, está no caminho certo para dentes limpos e hálito fresco!

Mas escolher um enxaguante bucal pode não ser uma tarefa fácil: o mercado oferece uma variedade enorme de produtos, cada um indicado para determinada demanda. É claro que, em caso de doenças ou necessidades especiais de higiene, o dentista é a pessoa mais adequada para indicar o melhor produto.

Porém, se você está simplesmente em busca de um enxaguante bucal de uso diário e precisa de ajuda na hora de escolher, confira nossas dicas:

1. Entenda a utilidade do enxaguante bucal

Basta um rápido bochecho com o produto para deixar o hálito fresco e agradável. Mas essa não é a função do enxaguante bucal, ao contrário do que muitos possam pensar.

Na verdade, o objetivo do seu uso é finalizar a limpeza da boca após a escovação, eliminando eventuais resíduos e bactérias que podem prejudicar a saúde bucal e causar doenças. A sensação de refrescância é apenas um bônus!

2. Conheça suas necessidades

Vários fatores podem influenciar a escolha do enxaguante bucal, desde sensibilidade nos dentes até propensão à formação de placa ou ocorrência de doenças periodontais. Para cada problema existe uma opção perfeita, tanto para prevenção quanto para tratamento. Por isso, a avaliação de um dentista é indispensável!

Também vale dizer que, para a maioria das pessoas (que não apresenta uma necessidade específica), o uso do enxaguante bucal é recomendado apenas uma vez ao dia, preferencialmente antes de dormir — já que no período noturno a produção de saliva diminui.

3. Descubra as contraindicações

Acredite: até mesmo um simples enxaguante bucal pode ser contraindicado em certas situações. Especialistas não recomendam o uso do produto por:

  • crianças menores de 3 anos de idade;
  • idosos que apresentam dificuldade motora moderada ou severa;
  • pacientes em tratamento oncológico (radioterapia ou quimioterapia).

4. Analise a composição do enxaguante bucal

Existem produtos desenvolvidos para as mais diversas finalidades, mas de modo geral os enxaguantes bucais se enquadram em 3 categorias principais:

  • antissépticos, que eliminam bactérias e promovem a sensação de refrescância;
  • com álcool, que devem ser usados com cautela para evitar irritações na mucosa;
  • com flúor. que ajuda a proteger contra cáries e placa bacteriana.

Além disso, alguns tipos de enxaguante prometem prevenir doenças periodontais e até mesmo clarear os dentes. Por isso, é importante analisar atentamente a composição dos produtos antes de fazer uma escolha.

5. Utilize o enxaguante bucal corretamente

O uso do enxaguante não poderia ser mais simples: basta colocar o líquido na tampa da embalagem (na quantidade indicada pelo fabricante) e usar o produto para fazer bochecho por cerca de um minuto. O líquido deve se movimentar por toda a boca: dentes, língua, gengiva e céu da boca.

Depois, o produto deve ser descartado na pia, sem ser engolido. Também não é recomendado fazer o enxágue da boca após o seu uso.

Escolher o enxaguante bucal ideal para cada pessoa é mais simples do que você imaginava, não é mesmo? Porém, em caso de dúvidas, é importante consultar um profissional que possa recomendar a melhor opção.

Agora que você já sabe como escolher e utilizar o enxaguante bucal em sua rotina diária de higiene, que tal conferir 7 dicas essenciais a saúde bucal? Com dentes bem cuidados e hálito fresco, não faltam motivos para sorrir!